ENERGIAS
Sustentabilidade vai depender da digitalização da rede elétrica

Sustentabilidade vai depender da digitalização da rede elétrica

Segundo um recente estudo da Eaton, as energias renováveis e a mobilidade elétrica só serão sustentáveis a longo prazo se houver uma digitalização e descentralização das redes elétricas

De acordo com a análise de 2019 e tendências 2020 divulgadas pela Eaton, para o setor do armazenamento de energia, o aumento consistente na adoção de veículos elétricos e o aparecimento de novas fábricas, que estão a iniciar operações, a que assistimos em 2019, levou à queda significativa nos preços das baterias. Este fenómeno permitiu o crescimento de grandes projetos de armazenamento de baterias, vitais para a estabelização das redes elétricas, apesar da regulamentação ainda desatualizada e as estruturas de mercado ainda difíceis atrasarem o o crescimento do setor.

Para possibilitar o desenvolvimento destes projetos, alguns entraves como a dupla tributação (pagamento de impostos pela energia recebida e enviada) devem ser evitados.

Para Dirk Kaisers, Segment Leader EMEA for Distributed Energy Management da Eaton, “em geral, o acesso ao mercado deveria ser mais acessível e os fluxos de receita devem ser estruturados de maneira que vários mercados possam ter acesso ao armazenamento. A abertura do mercado para agregadores e a melhoria das regulamentações acelerará o crescimento de baterias em prédios e residências, permitindo uma adoção mais rápida de fontes renováveis e, finalmente, democratizando o armazenamento de energia e a energia solar para todos os consumidores de eletricidade.”

No futuro, diz a marca, o setor deve passar de um sistema centralizado - considerado standard para a geração de energia com combustíveis fósseis - para um sistema descarbonizado, em que a estabilidade do sistema é criada com vários ativos e medidas. A partir daí, a digitalização da rede elétrica - ou a criação da rede inteligente - será a próxima prioridade.

Dirk Kaisers conclui que “O setor de energia entra em 2020 saudável, mas não pode haver uma rede inteligente sem uma conscientização abrangente sobre o que está a acontecer em todos os sistemas de energia. Até agora, a maioria dessas inovações em torno da digitalização da rede foi simulada e 2020 será o momento de aumentar o número de pilotos e implementar o software certo. Isso ajudará a integrar um número cada vez maior de ativos distribuídos, gerindo, finalmente, o fluxo de informações.”

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.