SMART CITIES
Empresas portuguesas testam nova ferramenta de circularidade

Empresas portuguesas testam nova ferramenta de circularidade

O BCSD Portugal lança a versão portuguesa dos “Indicadores de Transição Circular V2.0”, desenvolvidos pelo World Business Council for Sustainable Development (WBCSD) e por 30 empresas-membro.

O BCSD Portugal lança a versão portuguesa dos “Indicadores de Transição Circular V2.0” (Circular Transition Indicators V2.0), desenvolvidos pelo World Business Council for Sustainable Development (WBCSD) e por 30 empresas-membro. 

Esta ferramenta distingue-se por ser feita por empresas, para empresas, ajudando-as de forma simples a medir o seu grau de circularidade, definir objetivos de melhoria e monitorizar o seu desempenho circular. Esta metodologia é transversal a todos os setores e cadeias de valor, abrangente e flexível, complementar aos esforços já desenvolvidos pelas empresas no domínio da sustentabilidade e é agnóstica no que respeita aos materiais, setores ou tecnologias

A versão 2.0, lançada este ano, inclui indicadores dedicados à circularidade da água, de desempenho financeiro e ainda orientações para a bioeconomia. A versão portuguesa inclui três casos de estudo de empresas do Grupo de Trabalho de Economia Circular do BCSD Portugal e que participaram num piloto de aplicação da ferramenta online da CTI. São elas: Efacec, Galp e LIPOR. 

Atualmente, apenas 8,6% da economia mundial é circular e na Europa apenas 12% dos materiais e dos recursos secundários são reintroduzidos na economia.  Em 2020, a Comissão Europeia adotou um novo Plano de Ação para a Economia Circular, que constitui um dos principais alicerces do Pacto Ecológico Europeu, o novo roteiro da Europa para o crescimento sustentável, e que representa o atual enquadramento político nacional para a economia circular. Este Plano de Ação apela a que sejam feitos esforços para reduzir o impacto ecológico do consumo e duplicar a taxa de utilização de materiais circulares na próxima década.

Neste contexto, o foco da próxima edição das Conversas sobre Sustentabilidade, que acontece dia 16 de março, será a apresentação da  Circular Transition Indicators, cuja edição portuguesa resultou  da colaboração do BCSD Portugal com o WBCSD, assim como debater a urgência de incorporar métricas de circularidade nas empresas de forma a inovar modelos de negócios, adaptar estratégias e ultrapassar os desafios.

O painel é constituído por Irene Martinetti, Manager Circular Economy no WBCSD; Roy Vercoulen, Founder & CEO do Circular IQ; Nicole Ribeiro, Corporate Sustainability and Safety Department da Galp; Diana Nicolau, Communication, Sustainability and Marketing Department da LIPOR; Jasmin Oliveira, Quality & Sustainability Department da Efacec e com a moderação de Mafalda Evangelista, Head of Sustainability Knowledge do BCSD Portugal.

Acerca da publicação desta metodologia, o Secretário-Geral do BCSD Portugal, João Wengorovius Meneses, afirma que “A Circular Transition Indicators (CTI) é uma ferramenta valiosa que vem proporcionar às empresas um meio para realizarem a autoavaliação, a monitorização e a comunicação do seu desempenho circular de uma forma estruturada e eficaz”. 

Acrescenta ainda que “Este é um passo fulcral para a transição necessária para a neutralidade carbónica e para a eficiência no uso de recursos, na medida em que promove o desenvolvimento de produtos mais sustentáveis e, simultaneamente, a transição para uma economia mais resiliente”. 

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.