SMART CITIES
Lisboa: Semáforos vão abrir para autocarros em atraso

Lisboa: Semáforos vão abrir para autocarros em atraso

A partir do próximo mês os semáforos entre o Marquês e Entrecampos vão dar prioridade aos autocarros em atraso, como parte dos esforços por parte da Câmara de Lisboa para incentivar o uso de transportes públicos

 

Com o intuito de melhorar a pontualidade e regularidade dos transportes públicos na cidade – bem como encorajar o seu uso em detrimento do carro – a Câmara Municipal de Lisboa avançou com um projeto para dar prioridade aos autocarros em atraso na gestão de tráfego, segundo o Diário de Notícias.

A partir do próximo mês, os semáforos passarão a dar prioridade aos autocarros da Carris que estiverem a circular com um atraso entre o Marquês de Pombal e Entrecampos, de forma a que estes não percam velocidade e consigam recuperar a diferença de tempo.

Isto é conseguido através da coordenação do GERTRUDE – o sistema que faz a gestão dos semáforos consoante o trânsito – com sensores instalados nos autocarros que fazem este percurso. Desta forma, é possível fatorizar informação sobre a posição e horários dos autocarros na gestão de tráfego, e assim programar o sistema para dar prioridade autocarros em atraso sobre os restantes veículos e vias.

Isto consiste essencialmente numa fase de teste do projeto em si – a primeira etapa na área referida, provavelmente seguida pela estrada de Benfica caso se verifiquem resultados positivos.

Esta é apenas uma das medidas que a Câmara Municipal de Lisboa está a implementar nos seus esforços que a Carris consiga oferecer uma maior regularidade e pontualidade, e potencialmente minimizar a circulação de automóveis ao oferecer uma alternativa preferível ao seu uso quatidiano.

Em 2017, de acordo com dados da autarquia, divulgados pelo DN, no ano de 2017 houve 1337 situações em que carros mal estacionados obrigaram a Polícia Municipal a intervir, as quais resultaram na interrupção de circulação de 1480 veículos e de 937 horas de serviço.

"Sabemos que temos de reduzir os carros na cidade de Lisboa, para isso o transporte público tem de ter qualidade. Quando perguntamos às pessoas o que querem ver alterado referem a pontualidade e a regularidade. E para isso temos de ter estabilidade nos tempos de percurso", disse Miguel Gaspar, o vereador responsável pelas áreas da mobilidade e segurança na autarquia, em declarações ao Diário de Notícias. 

Outra iniciativa, em prática desde novembro do ano passado, é a existência de uma maior ligação entre Carris, a Polícia Municipal e a Câmara no acompanhamento do tráfego e na resposta a situações em que há carros estacionados em corredores BUS ou a impedir a circulação de autocarros ou elétricos.

A autarquia vai apostar ainda em completar os corredores BUS da capital que têm interrupções, e possivelmente aumentar o número de vias exclusivas a transportes públicos.

Elaborado com base em artigos do Observador e Diário de Notícias

 

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.