SMART CITIES
Toyota constrói cidade do futuro no Japão

Toyota constrói cidade do futuro no Japão

Apresentada no CES 2020, a denominada Woven City servirá como laboratório vivo para o desenvolvimento de novas tecnologias, focada na sustentabilidade, mobilidade autónoma, IA e IoT

No CES, a decorrer entre 7 e 10 de janeiro em Las Vegas, a Toyota anunciou seu ambicioso novo projeto de construção, chamado Woven City. Localizado próximo ao Monte Fuji, no Japão, o novo município ocupará a atual localização de uma fábrica de manufatura abandonada. A Toyota recuperou um terreno de 175 acres que, nos próximos anos, será transformado numa cidade do futuro.

O objetivo desta agregação de protótipos é criar um laboratório vivo para o desenvolvimento de futuras tecnologias, abrangendo coisas como veículos autónomos, robótica, casas inteligentes, mobilidade pessoal e muito mais.

Numa mesa redonda posterior ao anúncio da Woven City, James Kuffner, CEO do Toyota Research Institute Advanced Development, referiu: “As cidades de hoje foram construídas para carros”. Como com este projeto a empresa está a explorar um mundo de novas possibilidades tecnológicas, a Woven City poderia ser o ambiente perfeito para explorar esta questão.

A cidade terá como residentes cidadãos comuns, e os edifícios, infraestrutura e veículos serão interconectados, geridos por um sistema operacional digital que abrange toda a cidade. A Toyota convidará também os seus parceiros de negócio para trabalhar na cidade, além de académicos e cientistas de todo o mundo, com o objetivo de promover o desenvolvimento de novas tecnologias. 

A Woven City foi projetada para ser totalmente sustentável, alimentada pela tecnologia de combustível de hidrogénio da Toyota e painéis fotovoltaicos montados nos telhados – e, consequentemente, não será integrada na rede elétrica convencional. 

Os edifícios serão construídos em grande parte a partir de madeira, incorporando carpintaria tradicional japonesa. Os principais elementos da infraestrutura serão alojados no subsolo, incluindo o armazenamento do hidrogénio. 

As ruas da Woven City serão divididas em três seções, nenhuma das quais permite a circulação de veículos conduzidos por humanos. Uma será dedicado ao transporte autónomo de movimento mais rápido, outro a veículos mais lentos e de mobilidade pessoal, bem como peões, e o último será parque dedicado exclusivamente às pessoas.

Estes diferentes elementos de infraestrutura entrelaçam-se entre si, o que ajudou a inspirar o nome do projeto; é uma referência à história da Toyota, já que a empresa começou por construir teares para tecer tecidos.

O ambiente cuidadosamente planeado da Woven City deverá facilitar a criação e o desenvolvimento de futuras tecnologias de transporte. 

A vida dos residentes será facilitada por robôs domésticos, IoT e inteligência artificial – na cidade do futuro, o lixo é recolhido e os frigoríficos reabastecidos automaticamente.

Dada a escala do projeto, este será construído por fases ao longo de muitos anos. A inauguração oficial está projetada para 2021, recebendo os primeiros residentes dentro de cinco anos. Ainda assim, como referido na mesa redonda, “a cidade nunca será completada, porque a tecnologia está sempre a evoluir”.

Projetada para servir de modelo as para cidades do futuro, a Woven City foi pensada, segundo Kuffner, para beneficiar a saúde e a felicidade dos residentes.

Espera-se que a população da Woven City atinja cerca de 2 mil pessoas, e será também permitida a abertura de empresas na cidade. Como o projeto ainda não foi iniciado, é impossível saber qual será o custo de vida, mas um representante da empresa garante que terá "preços da Toyota", sugerindo que deve ser bastante mainstream.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.