ENERGIAS
Os maiores parques eólicos flutuantes do mundo

Os maiores parques eólicos flutuantes do mundo

O mar ao redor do Reino Unido é casa para dois dos maiores parques eólicos flutuantes. O terceiro maior, resultado de um investimento de 2,8 mil milhões de euros, fica localizado na Europa

A sustentabilidade é um dos pontos centrais das cidades inteligentes. O maior componente que contribui para isso é a energia renovável que o mundo urbano está constantemente focando é a chave para superar os desafios das emissões.

No final de 2017, a energia eólica produzida em alto mar atingiu uma capacidade de 18,8 GW. A maior parte desta energia vem das águas europeias - onde estão situados os maiores parques eólicos em alto mar.

Os parques eólicos flutuantes trazem várias vantagens. Uma delas é a velocidade do vento que, no mar, é mais rápida do que em terra. Mesmo um pequeno aumento na velocidade do vento pode levar a uma maior geração de energia. Também as velocidades do vento no mar são mais constantes do que em terra, o que significa que se torna uma fonte mais confiável de energia renovável. Também o custo de instalação de turbinas eólicas é menor em comparação com os geradores de combustíveis fósseis. Além disso, não consomem água nem emitem poluição ambiental.

Mas os parques eólicos flutuantes não são só um mar de rosas; há desvantagens na colocação destas estruturas. Um deles são os danos imprevistos, uma vez que ventos muito fortes, especialmente durante tempestades fortes ou furacões, podem danificar as turbinas eólicas. Depois, também o custo elevado dos cabos para transferir eletricidade de volta para terra pode ser muito cara. Um outro problema dos parques eólicos está relacionado com o armazenamento, uma vez que o vento não pode ser armazenado para uso futuro. Além disso, quando a eletricidade é necessária, é difícil gerá-la instantaneamente.

Gemini

O parque eólico Gemini, localizado na costa dos Países Baixos, é o terceiro maior parque eólico flutuante do mundo. Este parque é o resultado de um investimento de 2,8 mil milhões de euros. Está operacional desde 2017.

Este parque é constituído por duas partes, uma situada a norte de Ameland, com 75 turbinas, e a segunda parte a 34 milhas a norte de Schiermonnikoog, com o mesmo número de turbinas. O parque eólico Gemini tem capacidade para produzir 600 megawatts de energia verde para alimentar 800 mil casas.

London Array

Durante muito tempo, o London Array foi o maior parque eólico em alto mar do mundo. Atualmente, ocupa a segunda posição.

O London Array está localizado a 20 quilómetros da costa de Kent, no exterior do estuário do Tamisa, no Reino Unido. O parque atinge uma profundidade de até 82 pés. A fase 1 da construção teve início em março de 2011 e começou a gerar energia no final de outubro de 2013. A fase 2, cuja construção faria com que atingisse 1.000 MW com a adição de 166 turbinas, foi cancelada devido a preocupações com a vida das aves na região.

Walney Extension

O maior parque eólico flutuante do mundo está localizado em Cumbria, na costa noroeste da Inglaterra. O Walney Extension foi inaugurado oficialmente em setembro de 2018. Quando completa, este parque eólico flutuante deverá estender-se por uma área de 55 quilómetros quadrados.

A Walney Extension é um parque eólico de mil milhões de libras, propriedade da empresa dinamarquesa Ørsted. É composto por 87 turbinas eólicas e utiliza a mais recente tecnologia dos principais fabricantes de turbinas do mundo, nomeadamente a MHI Vestas (47 turbinas) e a Siemens Gamesa (40).

Cada turbina é otimizada para criar 8,25 megawatts de eletricidade. No total, 659 megawatts, as turbinas podem gerar 659 megawatts de energia - o suficiente para abastecer 600 mil residências.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.