INOVA
Bosch e Daimler implementam sistema de parqueamento autónomo

Bosch e Daimler implementam sistema de parqueamento autónomo

As duas empresas obtiveram permissão das autoridades competentes para instalar um sistema de estacionamento autónomo, disponível através de app móvel, que permite estacionar veículos com autonomia de nível 4 no parque do Museu Mercedes Benz

A Bosch e a Daimler obtiveram a aprovação das autoridades competentes em Baden-Württemberg para a instalação de um sistema de estacionamento autónomo no parque de estacionamento do Museu da Mercedes-Benz, em Estugarda.

O serviço automatizado está disponível através de uma app de smartphone e não requer qualquer supervisão. Isto faz com que seja a primeira função de estacionamento SAE de nível 4, sem condutor e totalmente automatizada do mundo a ser oficialmente aprovada para uso diário.

“Esta decisão das autoridades mostra que inovações como o estacionamento autónomo em parques é possível”, afirma Markus Heyn, membro do conselho de administração da Robert Bosch. “A condução e o estacionamento autónomos são blocos de construção importantes para a mobilidade do futuro. O sistema de estacionamento autónomo mostra o quanto já progredimos ao longo deste caminho de desenvolvimento”.

 

Dois parceiros com um objetivo em comum

Desde o início que a principal prioridade da Bosch e da Daimler para o serviço de estacionamento sem condutor era a segurança. Como ainda não existe um processo de aprovação oficial para funções de condução autónoma que não exijam condutor, as autoridades locais - a autoridade administrativa regional de Estugarda e o Ministério de Transportes de Baden-Württemberg - supervisionaram o projeto juntamente com especialistas da autoridade certificadora alemã TÜV Rheinland. O objetivo era avaliar a segurança operacional da tecnologia autónoma e do próprio parque.

O resultado é um conceito abrangente de segurança com critérios apropriados de teste e aprovação que podem ser aplicados a outros projetos do género. Neste projeto, os responsáveis pelo seu desenvolvimento definiram como o veículo sem condutor deteta peões e outros carros e pára de forma segura quando encontra um obstáculo. 

Estes mesmos especialistas estabeleceram também normas de comunicação seguras entre todos os componentes do sistema e tomaram todas as medidas para garantir que a ativação do sistema é feita de forma completamente segura.

 

A tecnologia por trás dos parques de estacionamento autónomos

O processo é simples: ir até a um parque, sair do carro e enviá-lo para um espaço de estacionamento com apenas um toque no smartphone - o estacionamento autónomo não necessita de um condutor. 

Assim que deixamos o veículo no parque ele procura um lugar livre e estaciona de forma autónoma. Posteriormente, o carro retorna ao ponto de partida exatamente da mesma forma. Este processo baseia-se na interação entre a infraestrutura de estacionamento inteligente fornecida pela Bosch e a tecnologia automóvel da Mercedes-Benz. 

Os sensores da Bosch, instalados no parque de estacionamento, monitorizam o corredor de condução e aquilo que está à sua volta e fornecem as informações necessárias para guiar o veículo. A tecnologia no carro converte os comandos da infraestrutura em manobras de direção. Desta forma, os carros podem, inclusivamente, subir e descer rampas para se deslocarem entre os vários andares do parque. Se os sensores da infraestrutura detetarem um obstáculo, o veículo para imediatamente.

 

As metas do projeto

A Bosch e a Daimler começaram a desenvolver o sistema de estacionamento sem condutor e totalmente automatizado em 2015 e, no verão de 2017, o projeto piloto instalado no Museu Mercedes-Benz, em Estugarda, alcançou um marco importante: a possibilidade de estacionamento automatizado em condições reais, com e sem condutor foi apresentado pela primeira vez. 

Depois desta apresentação seguiram-se várias fases de teste intensivos. Desde 2018, os visitantes do museu podem usar o serviço de estacionamento, acompanhados por pessoal de segurança devidamente treinado.  

Os vários testes do projeto piloto envolveram o teste de conceitos de iluminação nos veículos. A iluminação turquesa indica que um veículo está no modo de condução autónomo e a informar tanto pessoas como outros veículos dessa situação. 

Os resultados obtidos nestes testes estão refletidos na recente norma SAE 3134. A obtenção da aprovação final das autoridades era outro grande marco para a Bosch e para a Daimler: nesse sentido, as duas empresas poderão testar este serviço inovador de forma real e integrada no dia-a-dia do museu e sem supervisão de qualquer humano.

 

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.