INOVAÇÃO
Competitividade condiciona a adoção de veículos elétricos pelos portugueses

Competitividade condiciona a adoção de veículos elétricos pelos portugueses

Apesar de preencherem quase todos os requisitos para convencer um grande número de automobilistas, para que os veículos elétricos sejam adotados há uma condicionante a ultrapassar: a da competitividade económica

Para 86% dos inquiridos pelo Observador Cetelem Automóvel, um veículo elétrico custa mais do que o seu equivalente de combustão. Esta crença é verificada pelos factos: um veículo elétrico é globalmente mais caro do que um veículo de combustão, principalmente devido ao custo da sua bateria.

Para os automobilistas, este é um dos argumentos para não quererem comprar um veículo elétrico, e isto nos 16 países do estudo, incluindo Portugal, onde também os inquiridos concordam com a ideia (mais 1% que a média global). 

Entre as ajudas e incentivos à compra de um veículo elétrico, estão incluídos prémios de renovação de veículos antigos; bónus fiscais e outras medidas não financeiras, tais como o estacionamento gratuito e acessos às faixas de circulação reservadas. Mas, surpreendentemente, 49% dos inquiridos não sabem se estas ajudas são propostas no seu país, e apenas 32% afirmam conhecer estas ajudas.

O cenário nacional é bastante semelhante às médias globais do estudo, onde 50% dos inquiridos afirmam não ter conhecimento da existência de incentivos para a aquisição de veículos elétricos; 19% dizem que não existem incentivos em Portugal e apenas 32% confirmam saber quais existem. Com 65% e 55%, respetivamente, os Chineses e os Franceses consideram-se mais informados. oobservador.pt 

Também as despesas de manutenção são avaliadas pelos automobilistas e 68% dos inquiridos consideram que um veículo elétrico exige menos manutenção do que um veículo de combustão. Estas percentagens são maiores em países como a China (78%), a Espanha (76%) e a Turquia (75%). Quanto aos condutores portugueses, 66% concordam que um elétrico exige menos manutenção que um veículo de combustão (menos 2 pontos percentuais que a média do estudo). 

Quando questionados se a utilização de um veículo elétrico é económica, os inquiridos da Turquia (87%), da China (86%) e do Brasil (85%) são os condutores mais de acordo com a ideia. No sentido oposto, os da Itália (65%) e da Alemanha (66%) são os mais céticos quanto às virtudes económicas dos veículos elétricos. 83% dos inquiridos nacionais é da opinião que um elétrico é mais económico (6 pontos percentuais acima do valor médio registado), por exigir menos manutenção e gastar menos energia. 

Tags

RECOMENDADO PELOS LEITORES

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.