SMART CITIES
AUTOC-ITS faz-se à estrada em Lisboa

AUTOC-ITS faz-se à estrada em Lisboa

O primeiro teste em ambiente real da iniciativa europeia de mobilidade AUTOC-ITS tomou lugar esta semana, com três veículos de condução automática a circular entre o tráfego normal na A9/CREL

A A9/CREL foi palco do primeiro teste de veículos autónomos em Portugal entre dia 15 e 18 deste mês, no âmbito do projeto europeu AUTOC-ITS para desenvolvimento de soluções para veículos autónomos poderem circular nas estradas europeias. Presente em várias cidades europeias, a iniciativa aposta no desenvolvimento de serviços colaborativos de transporte inteligente (C-ITS) para habilitar veículos e infraestruturas rodoviárias para trocarem informação com maior facilidade.

No essencial, ao longo destes quatro dias de testes, os sistemas de navegação de condução autónoma dos veículos autónomos foram “informados” sobre riscos (virtualmente criados) presentes na via, esperando-se que, em função desses riscos de segurança, os veículos autónomos adotem o comportamento mais adequado. O objetivo foi testar a comunicação entre os e os sistemas de navegação e as road side units instaladas para o efeito, e consecutiva resposta dos veículos autónomos à informação fornecida.

Os testes decorreram na A9/CREL, nos dois sentidos entre os nós da Pontinha (km 10) e de Odivelas (km 17), entre os dias 15 e 18 de outubro. Durante quatro dias, a partir do meio da manhã e até ao meio da tarde – para evitar as horas de maior tráfego no local – os veículos circularam em simultâneo com o trânsito normal. De forma a salvaguardar a segurança dos automobilistas, os carros circularam acompanhados por uma escolta da GNR e com um condutor pronto a tomar controlo em caso de necessidade.

Sujeitos a este teste estiveram dois veículos autónomos, da Universidade Politécnica de Madrid e da CTAG (Centro Tecnológico de Automacion de Galiza), e um veículo conectado da Bosch, com simulação de incidências concretas de trânsito (piso escorregadio, veículos imobilizados ou em marcha lenta), para que os veículos testados adotem um comportamento ajustado e possam superar cada desafio em segurança, própria e dos terceiros que circulam na via.

Além da Brisa que, através da Brisa Concessão Rodoviária e da A-to-Be, disponibilizam a infraestrutura e a tecnologia aplicada à infraestrutura Indra para este piloto, os parceiros nacionais deste projeto europeu,  coordenado pela INDRA, são a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, atenta aos necessários ajustes de legislação rodoviária e outra, resultantes da condução autónoma, o Instituto Pedro Nunes e a Universidade de Coimbra, que tem a seu cargo a coordenação do piloto e a sua avaliação, durante os testes piloto da A9/CREL, do projeto europeu AUTOC-ITS.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.