SMART CITIES
Indra aplica a nova geração de IoT inteligente e segura ao sector ferroviário

Indra aplica a nova geração de IoT inteligente e segura ao sector ferroviário

A Indra iniciou este este ano o desenvolvimento e os testes de novas soluções que visam melhorar a segurança, eficiência, interoperabilidade e os serviços do sector ferroviário, no âmbito de uma nova geração de sistemas de IoT inteligentes, seguros e de confiança

A Indra participa no projeto europeu de I+D+i SCOTT, onde trabalha no desenvolvimento de novas soluções e produtos baseados em tecnologias de comunicação sem fios seguras, confiáveis e interoperáveis, que vão permitir a comunicação entre os diferentes elementos e dispositivos das infraestruturas ferroviárias e os dispositivos a bordo dos comboios, tanto entre eles como com os centros de controlo e/ou plataformas na nuvem. O objetivo final é tornar possíveis novos serviços de alto valor acrescentado. O projeto, cofinanciado pelo Ministério de Energia, Turismo e Agenda Digital espanhol e a Comissão Europeia, também promove o desenvolvimento e uso de dispositivos de baixo consumo e autossuficientes energeticamente.

A empresa utiliza neste projeto a sua plataforma hardware IoT de processamento seguro para o transporte ferroviário, a InVITALRAIL, que permite integrar todo tipo de dispositivos a bordo, assim como os instalados nas infraestruturas. O objetivo é desenvolver as comunicações sem fios V2X (vehicle-to-everything), avançar para uma plataforma inteligente e segura que integre os dados facultados pelos diferentes elementos de monitorização, controlo, etc. (como sensores por exemplo) e, a partir destes, desenvolver várias aplicações inovadoras que permitam a implementação de novos serviços ferroviários reduzindo a necessidade de investimento e os custos operativos. Tudo isto, melhorando a interoperabilidade com outros meios de transporte.

 

Melhoria da segurança, interoperabilidade e a eficiência

Em concreto, a Indra vai desenvolver soluções para melhorar a segurança em áreas críticas e o seguimento, monitorização e manutenção do material circulante e da própria infraestrutura, utilizando redes de comunicações sem fios distribuídas e semiautónomas energeticamente, com dispositivos alimentados exclusivamente através de recolectores de energia, uma área muito pouco madura no sector ferroviário.

Estas soluções vão permitir que zonas do sector ferroviário onde não existem infraestruturas prévias de rede ou onde é difícil que possam chegar, tenham um sistema viável, de baixo custo e compatível com os sistemas existentes permitindo eliminar eventuais falhas na segurança em áreas críticas como passagens de nível, cruzamentos com estradas ou zonas de trabalhos, sem necessidade de utilizar os sistemas de cablagem tradicionais. Também será possível a interoperabilidade com veículos conectados e autónomos, que poderão ser notificados, por exemplo, sobre a aproximação de um comboio; e facilitarão a logística do material circulante, o seguimento de mercadorias, etc.

A comunicação sem fios veículo-veículo (V2V), veículo-infraestrutura (V2I/I2V) e os sensores WSM (Wireless Sensor Networks) são outras tecnologias utilizadas no projeto. A Indra vai desenvolver novas soluções que visam facilitar a comunicação entre os comboios e entre estes e as infraestruturas, acrescentando aos sistemas de segurança centralizada um sistema adicional capaz de trabalhar incidentes em tempo crítico de forma mais eficaz. Estas soluções vão permitir reduzir a distância de segurança necessária entre os comboios e aumentar a capacidade das linhas, assim como facilitar a junção virtual de um conjunto de comboios, em relação às ligações mecânicas, elétricas e pneumáticas atuais, que implicam elevados riscos de segurança e custos em tempo e pessoal.

Através da ligação sem fios, os comboios poderão trocar informações sobre a sua composição, posição, potência, massa do veículo e comprimento; e estabelecer uma hierarquia de controlo para que um comboio possa emitir comandos para os outros comboios do conjunto de comboios virtuais e comunicar de forma eficiente com o seu entorno, melhorando a previsão de possíveis incidentes no percurso. Isto permitirá, entre outras melhorias, deslocar o conjunto de comboios sem estabelecer realmente uma ligação física entre eles e dispor de uma infraestrutura para futuros serviços de automatização no comboio.

A Indra também participa na definição e desenvolvimento de sistemas e serviços multimodais na nuvem para combinar informações sobre o transporte ferroviário, através da rede sem fios autónoma descrita, com informações sobre o tráfego rodoviário de veículos conectados para utilizar em terminais, estações etc. no intuito de melhorar a eficiência no transporte e a experiência do passageiro.

 

Os DevOps facilitam a implementação dos dispositivos e dos novos serviços

As novas soluções desenvolvidas são compatíveis com as atuais infraestruturas ferroviárias, o que facilita a sua adoção. Para facilitar a implementação dos dispositivos IoT e os serviços associados, reduzindo tempo, custo e eventuais erros, a Indra está a trabalhar no uso de metodologias DevOps no âmbito do projeto europeu de I+D+i ENACT, dentro do programa europeu de inovação H2020.

Os DevOps são um conjunto de ferramentas e das melhores práticas em engenharia de software que garantem uma qualidade máxima e promovem o desenvolvimento contínuo de sistemas complexos fomentando a sua agilidade, os ciclos de inovação rápidos e a sua facilidade de uso, graças à possibilidade de fazer simulações antes de uma implementação real. Esta metodologia está totalmente implementada na indústria de software, não obstante, ainda não existe um suporte completo de DevOps para sistemas de IoT inteligentes e confiáveis.

A Indra coordena a definição dos requisitos e casos de uso do projeto ENACT, vinculando-os ao modelo de negócio. A empresa também vai utilizar a metodologia DevOps para um novo serviço que faz uso de IoT para seguimento, controlo e gestão das composições, assim como da integridade do comboio no serviço turístico de Gulbene, na Letónia.

A Indra utiliza neste projeto a sua plataforma hardware IoT de processamento seguro para o sector ferroviário a InVITALRAIL e a plataforma com capacidades IoT e big data da unidade de transformação digital da Indra, Minsait IoT SOFIA2.

 

Líder em smart mobility para o sector ferroviário

Para além da sua colaboração nestes projetos, a Indra tem uma participação ativa e destacada na principal iniciativa de inovação europeia para o sector ferroviário, a Shift2Rail. A empresa participa nos programas IP2, focado no desenvolvimento de sistemas avançados de gestão e controlo do tráfego ferroviário; no IP4, dedicado ao desenvolvimento de novas soluções e serviços TIC que permitam melhorar a experiência dos passageiros e melhorar o interesse pelo comboio trabalhando em âmbitos como a interoperabilidade, a bilhética, os novos meios de pagamento ou sistemas de informação; e no IP5, que tem como objetivo evoluir para um transporte de mercadorias mais eficiente, sustentável e competitivo.

Para além de utilizar as suas soluções e experiência no transporte ferroviário, a Indra contribui para a inovação no sector com a sua experiência digital e o seu amplo conhecimento em vários sectores de atividade, o que permite gerar sinergias e transferir tecnologia entre diferentes âmbitos, assim como facilitar uma gestão da mobilidade mais integrada e intermodal.

O compromisso com a inovação fez da Indra uma das principais empresas do sector ferroviário. As soluções de última tecnologia desenvolvidas pela Indra posicionam-na na vanguarda mundial do sector e já foram implementadas com sucesso internacionalmente em países como EUA, Austrália, México, Colômbia, China, Índia ou Malásia, entre outros.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.