SMART CITIES
Londres testa condução autónoma em ambiente real

Londres testa condução autónoma em ambiente real

O Smart Mobility Living Lab, iniciativa de mobilidade britânica, anunciou duas rotas para testar veículos autónomos em Londres nas áreas de Greenwich e Stratford, nas quais será possibilitado a fabricantes e outros players criar as suas próprias rotas de teste

Esta plataforma de teste do Smart Mobility Living Lab (SMLL) oferecerá também, pela primeira vez no Reino Unido, a possibilidade de players no setor dos transportes conceberem as suas próprias rotas de teste em ruas públicas para conduzir testes em ambiente urbano real.

Infraestrutura de monitorização avançada será instalada nas bermas da estrada para aumentar a segurança e obter informação sobre a forma como os veículos se comportam em situações reais.

De acordo com o estudo conduzido pela SMLL sobre o mercado de veículos coletados e autónomos, 84% dos decisões na indústria concordam que o Reino Unido precisa de plataformas de teste próprias, e 67% concorda que este veículos tornarão as estradas mais seguras, e que a capacidade de testar veículos em ambiente real de forma escalável é essencial  para de o desenvolvimento e produção de carros autónomos.

As áreas incluem 24km de ruas existentes monitorizada remotamente por CCTV, com sensores na berma para recolher e partilhar dados sobre os sistemas dos veículos a serem testados e as comunicações entre estes e a infraestrutura.

Clientes da SMLL terão a possibilidade de criar as suas próprias rotas dentro das duas áreas. As rotas SMLL incluem uma variedade de tipos de estrada e cruzamentos, faixas de autocarros e ciclovias para testar a performance dos veículos em ambiente real.

“Sabemos que para os veículos conetados e autónomos terem sucesso precisamos de permitir que os fabricantes os testem num ambiente urbano complexo”, refere Ben Coulter, head of sustainability na London Legacy Development Corporation. “É exatamente isso que estamos a fazer, permitir que as aplicações práticas que esta tecnologia tem para a vida quotidiana possa ser ser totalmente explorada antes de ser implementada universalmente.”

Coulter acrescenta ainda que isto faz parte de um programa alargado a desenrolar-se no Queen Elizabeth Olympic Park para usar tecnikigua e abordagens integradas para inovar e suportar a operação de espaços future-ready, conetados, com baixas emissões e gestão eficiente de recursos.  to use technology and integrated approaches to innovate and support the operation of resource efficient, low carbon, connected and future ready places.”

O consórcio por detrás do living lab inclui o Transport Research Laboratory (TRL), DG Cities, Cisco, Cubic, Loughborough University, Transport for London e o Queen Elizabeth Olympic Park.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.