ENERGIAS
Schneider Electric marca presença no Web Summit 2020

Schneider Electric marca presença no Web Summit 2020

Schneider Electric marcará presença no Web Summit 2020 para destacar o impacto da Inovação na transição energética

No ano passado, a Schneider Electric aliou-se ao Web Summit para compensar as emissões de carbono do evento, utilizando uma combinação de certificados de atributos de energia e compensação de emissões – assim pôde fazer face às emissões produzidas pelo consumo de energia do evento e às viagens dos participantes, tendo salvo o equivalente a um milhão de árvores através dos seus esforços de sustentabilidade.

Emmanuel Lagarrigue, Chief Innovation Officer da Schneider Electric, regressa ao  Web Summit em 2020 com um propósito claro: demonstrar as oportunidades de inovação que nos traz o novo mundo eletrificado, marcado pela transição para a energia digitalizada, descarbonizada e descentralizada.

Em todo o mundo, a pandemia que vivemos acelerou os processos de digitalização – a inovação digital e a conectividade alteraram a forma como trabalhamos e vivemos, e permitiram-nos manter a continuidade dos negócios. A Schneider Electric considera que este é o momento para compreender que estes processos digitais, aliados à eletrificação e à energia limpa, podem alterar o nosso impacto sobre o ambiente e conduzir-nos a um mundo mais sustentável, e ao mesmo tempo impulsionar e sustentar a recuperação económica

.

A inovação impulsiona a transição energética

Atualmente, as empresas estão a reafirmar os seus compromissos de sustentabilidade e a aumentar os seus investimentos em energia limpa – uma procura que está a acelerar a transição para um mundo cada vez mais elétrico e descarbonizado, em que as tecnologias emergentes e outras em contínua evolução (como é o caso dos veículos elétricos) assumem um papel preponderante.

“O processo de transição energética será muito mais rápido do que se poderia pensar, devido às fraquezas do nosso sistema atual. As energias renováveis são descarbonizadas, fiáveis e aumentam a nossa independência energética, e em muitos países são até mais acessíveis do que as outras fontes de energia. As empresas já estão a investir neste tipo de energia, que a longo prazo é muito mais rentável; os edifícios já estão a aplicá-las com grande facilidade e resultados rápidos – a eletricidade proveniente de fontes renováveis é virtualmente 100% eficiente e pode ser utilizada e aproveitada localmente de forma flexível,” comenta Emmanuel Lagarrigue. “Temos já todas as bases delineadas para continuar a construir este novo mundo elétrico, mas é preciso que continuemos a progredir nesse sentido. É preciso que as empresas levem a sério este compromisso e aprendam a preparar a sua transição energética e como a podem acelerar.”

A própria Schneider Electric é um exemplo de liderança neste sentido: definiu o objetivo de, até 2030, conseguir que 80% de toda a sua eletricidade provenha de fontes renováveis. A 30 de setembro último, o Grupo tinha já atingido os 65% - o que por si só demonstra a viabilidade da sua estratégia, que quer partilhar com as demais empresas.

 

Oportunidades para novos negócios e tecnologias

A Schneider Electric reconhece que não pode desenvolver todas as soluções necessárias para este caminho de sustentabilidade que quer percorrer, e assim está empenhada em investir e escalar empresas que estão atualmente a desenvolver as soluções necessárias para um futuro energético descarbonizado.

Neste Web Summit, o Grupo também procura novas startups para se juntarem ao seu programa Innovation at the Edge – através do qual realiza investimentos, forma parcerias e cria novas empresas que oferecem os serviços e tecnologias mais avançados, sempre com a sustentabilidade como meio e fim. A sua divisão especializada de capital de risco, SE Ventures, já investiu em mais de 20 empresas, e continua a fazê-lo apesar do momento económico incerto que o mundo vive.

Assim sendo, a Schneider Electric define claramente o tipo de startups que procura atualmente: empresas com ideias inovadoras em termos de tecnologia, software e modelos de negócio para diversas vertentes de energia – como  veículo elétrico, armazenamento de baterias, gestão da energia doméstica e microgrids, entre outros. Procura também novos parceiros que possam integrar o seu ecossistema global, para proporcionar o melhor serviço e oferta aos clientes e inovar em conjunto.

“Na Schneider Electric acreditamos que as startups desempenham um papel muito importante no desenvolvimento das tecnologias e soluções de que o mundo precisa neste momento, pois têm ideias disruptivas que mantêm o mercado em constante evolução,” explica Emmanuel Lagarrigue. “Para crescer na indústria, estas empresas necessitam de um parceiro estratégico que as possa guiar e apoiar através do investimento e da construção de novos modelos de negócio. A Schneider Electric é o parceiro ideal: para além de lhes proporcionarmos verdadeira inovação, ajudamo-las a criar um ‘roadmap’ para a sustentabilidade, que lhes permitirá construir um novo futuro de energia limpa sustentado pela ‘clean tech’.”

A presença da Schneider Electric no Web Summit 2020 será feita em dois momentos principais:

  • 2 dez, 15h25 – Fireside “The digital road to cleaner energy” com a participação de Emmanuel Lagarrigue, Chief Innovation Officer da Schneider Electric; Yuri Sebregts, CTO da Shell; e Neanda Salvaterra, Energy Reporter da Karma Impact.
  • 4 dez, 12h30 – Masterclass “The energy transition will be driven by innovation”, lecionada por Emmanuel Lagarrigue e Mike Doucleff, Head of e-Mobility Business da Schneider Electric.
Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.