INOVAÇÃO
Schneider distinguida em economia circular

Schneider distinguida em economia circular

A Schneider Electric venceu o prémio The Circulars 2019 na categoria ‘Multinacional’, pelo seu compromisso com a economia circular

A Schneider Electric venceu o prémio The Circulars 2019, na categoria Multinacional. The Circulars, uma iniciativa do World Economic Forum e do Forum of Young Global Leaders, em colaboração com a Accenture Strategy, é o principal prémio de economia circular a nível global. Reconhece organizações públicas e privadas, bem como pessoas individuais, que contribuam significativamente para a economia circular.

Graças à economia circular, em 2018 pôde evitar-se o consumo de 40.000 toneladas de recursos primários e a emissão de 30 milhões de toneladas de CO2

A abordagem da Schneider Electric em relação à economia circular consiste num deliberado afastamento do sistema linear de desperdício, baseado em “extrair, fabricar, descartar” (ou “levar, fazer e descartar”) que é, comprovadamente, prejudicial para o planeta e o clima. A abordagem que o Grupo adota em relação à circularidade, que reflete os princípios da Ellen MacArthur Foundation, consiste em:

  • Preservar e valorizar o capital natural;
  • Minimizar a utilização de recursos primários;
  • Fomentar novos sistemas, incluindo o leasing, para prolongar o tempo de vida útil dos produtos, promover a reparação, reutilização e, finalmente, a reciclagem de materiais, se todas as outras opções forem esgotadas.

 

O prémio The Circulars 2019 reconhece o compromisso da Schneider Electric com a economia circular em todos os locais e a todos os níveis, como parte de uma abordagem universal que engloba todas as atividades da Schneider Electric:

  • Eco-design de produtos com utilização mínima de matérias-primas;
  • Propostas de Valor Circular (objetos, serviços, leasing, reparações, retoma, etc. conectados entre si);
  • Cadeia de distribuição circular (logística reversa, centros de reparação, centros de modernização e recondicionamento, etc.);
  • Administração corporativa baseada em quatro indicadores de “economia circular” no barómetro trimestral, não financeiro, de Impacto de Sustentabilidade da Schneider, o que tem repercussões na remuneração de milhares de gestores da Schneider Electric.

 

Todos os novos produtos têm um design ecológico, o que significa que são criados para serem facilmente reparados, atualizados e finalmente desmantelados, no final da sua vida útil. Os Perfis Ambientais de Produto (PEP) digitais oferecem aos clientes informação clara sobre a pegada ecológica de um produto e o seu impacto ambiental, bem como instruções detalhadas para a fase de final de vida útil, que maximizam a circularidade dos produtos após a sua “primeira vida”. Em 2019, a Schneider Electric fará um esforço redobrado por aumentar a utilização de plásticos reciclados nos seus produtos.

Para além disto, a Schneider Electric continua a implementar uma crescente gama de serviços para ajudar os clientes a prolongar o tempo de vida útil de equipamentos elétricos antigos, bem como a atualizá-los para a tecnologia mais recente. Isto é feito, por exemplo, através do seu programa Ecofit, graças a uma rede global de centros de reparação  para disjuntores de equipamentos de baixa e média tensão, e UPS. Existem também serviços adicionais para a retoma e o tratamento de baterias e equipamento de média tensão em fim de vida. Em 2018, as iniciativas de circularidade da Schneider Electric ajudaram a evitar o consumo de 40.000 toneladas de recursos primários, e a emissão de 30 milhões de toneladas de CO2 por parte dos seus clientes, maioritariamente através da renovação de equipamento existente (edifícios, indústria, infraestruturas).

A Schneider Electric também aplica princípios de circularidade em toda a sua cadeia de distribuição. Mais de 170 locais em todo o mundo possuem a etiqueta TZWL (Towards Zero Waste to Landfill) e reutilizam, atualmente, 94% dos seus resíduos.

 

A economia circular no centro da estratégia 

“A economia circular é uma transformação estratégica global e é fundamental em tudo o que fazemos,” disse Jean-Pascal Tricoire, Chairman e CEO da Schneider Electric. “É essencial para o planeta, melhora o desempenho dos nossos clientes, ajuda os governos e os países graças aos empregos locais que cria, e é estratégica para nós porque nos leva a relações sustentáveis com os nossos clientes.”

A Schneider Electric está associada à Ellen MacArthur Foundation desde 2015, como membro do programa Economia Circular (CE100), e cocriou um programa de e-learning sobre economia circular, já efetuado, até ao momento, por 4.500 colaboradores da Schneider Electric.

Todo o Grupo está envolvido no esforço de circularidade, com 10.000 engenheiros em Investigação & Desenvolvimento, 12.000 engenheiros em Serviços e 80.000 colaboradores em 200 fábricas que trabalham, diariamente, para reduzir os desperdícios e, simultaneamente, fabricar produtos da mais alta qualidade.

 

Objetivos para 2030

A Schneider Electric continua a impulsionar os seus esforços de circularidade através de um conjunto de metas ambiciosas. Em 2021, o Grupo pretende evitar o consumo de 120 mil toneladas de recursos primários e reduzir 120 milhões de toneladas de emissões de CO2 por parte dos seus clientes. Em 2025, o Grupo quer duplicar a quantidade de plástico reciclado nos seus produtos e, até 2030, pretende que 100% da energia das suas instalações provenha de fontes renováveis (em comparação com os 30% de hoje em dia), que 100% dos resíduos sejam reutilizados e que todas as embalagens provenham de fontes recicladas ou certificadas.

Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.