SMART CITIES
Câmara Municipal de Lisboa promove programa de literacia digital

Câmara Municipal de Lisboa promove programa de literacia digital

O Programa de Inclusão e Literacia Digital da Câmara Municipal de Lisboa (PILD) vai servir de modelo para o programa de competências digitais a ser promovido a nível nacional pelo Programa Portugal INCoDe.2030 - Iniciativa Nacional Competências Digitais e.2030.

O Programa de Inclusão e Literacia Digital da Câmara Municipal de Lisboa (PILD) vai servir de modelo para o programa de competências digitais a ser promovido a nível nacional pelo Programa Portugal INCoDe.2030 - Iniciativa Nacional Competências Digitais e.2030. O projeto de Lisboa já tinha sido distinguido pela FCT – Fundação para a Ciência e Tecnologia e considerado uma boa prática europeia junto de populações vulneráveis. Como combater a infoexclusão é ainda mais relevante neste tempo de pandemia, a FCT e o Município assinaram um protocolo, que inclui a Associação DNS.PT, no âmbito do programa INCoDe.2030, para levar o programa a mais pessoas e a mais locais do país. A FCT passa também integrar o projeto Laboratório de Dados Urbanos de Lisboa, no quadro da promoção das tecnologias digitais ao serviço das populações.

Utilizar serviços públicos online, comunicar com a família e amigos, criar apresentações ou cv’s, partilhar fotos, realizar vídeos, fazer folhas de cálculo. Ou mesmo o básico: aceder ao computador e à própria internet não é tarefa fácil para muitos portugueses. Apesar da qualidade das estruturas de banda larga no país, ainda existe uma percentagem significativa de cidadãs e cidadãos sem as necessárias aptidões digitais, situação mais impactante em cenário de pandemia. O risco de exclusão digital afeta as populações mais vulneráveis, idosos, pessoas com baixos rendimentos e/ou menores qualificações e mulheres.

Apenas 31% das pessoas pertencentes a um destes grupos possui competências para aceder à Internet. A discrepância de desempenho em relação aos diferentes indicadores do DESI -Digital Economy and Society Indexmantém a performance digital de Portugal abaixo da média da UE e acentua a relevância de políticas e iniciativas que contribuam para o combate às desigualdades digitais.

É nesse sentido que o Programa Portugal INCoDe.2030 - Iniciativa Nacional Competências Digitais e.2030, reconhece no Programa para a Inclusão e Literacia Digital (PILD) um importante instrumento para a promoção de competências digitais, com condições e resultados para ser ampliado localmente e, sobretudo, replicado em termos nacionais. 

“Um dos principais objetivos do INCoDe.2030 é precisamente identificar as iniciativas desenvolvidas pelos diferentes atores da sociedade, em termos de promoção de competências digitais, e fazer crescer aquelas que têm maior potencial de chegar a um maior número de pessoas, de modo sustentado e com a qualidade necessária para alcançarmos uma efetiva inclusão digital. O PILD tem já provas dadas a esse nível pelo que faz todo o sentido replicar a iniciativa noutros concelhos, noutras comunidades”, refere Nuno Feixa Rodrigues, Coordenador Geral do Programa INCoDe.2030.

“De forma participada e com diversos parceiros locais, das juntas de freguesias às universidades seniores, passando pelo contacto direto das pessoas, o Município quis responder a duas questões principais: 1) que iniciativas deve a CML implementar para diminuir o fosso digital em Lisboa? 2) Que competências digitais são relevantes para os cidadãos, especialmente os mais vulneráveis e afetados pelo infoexclusão, e devem ser promovidas? A resposta foi a criação, no âmbito do nosso plano de formação, do Programa para a Inclusão e Literacia Digital (PILD), cujos cursos começaram em Marvila e que têm passado por diversos pontos da cidade, abrangendo tanto trabalhadores do Município como a população em geral. Um programa pensado especificamente para responder às necessidades das pessoas e para lhes dar novos instrumentos de cidadania”, realça João Paulo Saraiva, vice-presidente da CML.

Com a assinatura do protocolo o programa municipal será alargado, a partir de 2021, com a capacitação de formadores certificados, de diferentes zonas do país, que possam replicar os cursos e dar-lhes expressão nacional, especialmente nas áreas mais deficitárias a este nível, criando programas locais idênticos. Esforço no âmbito do programa nacional que está a ser desenvolvido pelo INCoDe.2030, em articulação com o Município de Lisboa e será apresentado em breve. 

O protocolo prevê um apoio do .PT - a este esforço, no quadro das suas atribuições de desenvolvimento e promoção dos recursos associados à Internet, com apoio financeiro para equipamentos necessários no âmbito do PILD. Para Luísa Ribeiro Lopes, Presidente do Conselho Diretivo do .PT, “Sendo uma das missões do .PT contribuir para a dinamização da internet e para a promoção das competências digitais em Portugal, o apoio a mais este projeto vem reforçar o esforço efetuado ao longo dos últimos anos para contribuir para uma maior inclusão e capacitação digitais e consequentemente promover uma maior integração social daqueles que correm o risco de uma dupla exclusão. Só com parcerias que trabalhem em proximidade é possível inverter os números da exclusão digital e potenciar a transição digital assente nas pessoas.”

A FCT e o Município de Lisboa vão passar também a cooperar na área de dados disponibilizados pela Plataforma de Gestão Inteligente de Lisboa. A Fundação passará assim a integrar a comissão de coordenação do Laboratório de Dados Urbanos de Lisboa, apoiando a investigação e o plano de atividades deste órgão municipal.  

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.