SMART CITIES
Microsoft quer ser carbono negativa

Microsoft quer ser carbono negativa

A Microsoft apresentou o seu objetivo de ser carbono negativa até 2030 e, até 2050 retirar do ambiente todo o carbono que a empresa emitiu desde que foi fundada, em 1975

Num evento realizado no Campus da Microsoft, em Redmond, nos Estados Unidos, o CEO da Microsoft, Satya Nadella, o Presidente, Brad Smith, a CFO Amy Hood, e o Chief Environmental Officer, Luccas Joppa, anunciaram os novos objetivos da companhia e detalharam o plano para se alcançar a meta de carbono negativo.

Apesar do planeta precisar que alcancemos a meta de zero carbono, nós que podemos fazê-lo mais depressa e que podemos ir além da meta, devemos fazê-lo. É por isso que anunciámos um objetivo ambicioso e um novo plano para reduzir e, finalmente, acabar com a pegada de carbono da Microsoft”, disse o Presidente da Microsoft, Brad Smith. “Em 2030, a Microsoft será negativa em carbono, e, em 2050, vai retirar do ambiente todo o carbono que a empresa emitiu diretamente ou através do consumo de energia, desde que foi fundada, em 1975”.

A empresa apresentou um programa agressivo de redução das emissões de carbono para mais de metade em 2030, tanto para emissões diretas como para toda a cadeia de valor e fornecimento. Isto significa reduzir as emissões diretas da Microsoft e as emissões relacionadas com a energia que usa para perto de zero até à metade da presente década.

Também foi anunciada uma nova iniciativa para se usar a tecnologia Microsoft no sentido de ajudar os fornecedores e clientes de todo o mundo a reduzirem a sua própria pegada de carbono. A somar a isto, foi criado um fundo dedicado à inovação ambiental, no valor de mil milhões de dólares para acelerar o desenvolvimento global de tecnologias de redução, captura e remoção de carbono.

No início do próximo ano, a empresa vai também tornar a redução de carbono uma condição explícita nos seus processos de aquisição de produtos e serviços. Um novo Relatório Anual de Sustentabilidade Ambiental vai detalhar o impacto de carbono da Microsoft e da sua jornada de redução.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.