INOVA
Blockchain na redução das emissões da indústria da aviação

Blockchain na redução das emissões da indústria da aviação

A Câmara de Comércio Internacional (ICC), a Perlin e a AirCarbon formaram uma parceria para o desenvolvimento de uma plataforma de blockchain para a troca credível de créditos de compensação de carbono na indústria da aviação

Em reconhecimento do impacto ambiental crescente e significativo do tráfego aéreo comercial, a Câmara de Comércio Internacional (ICC), a Perlin e a AirCarbon formaram uma parceria para personalizar a plataforma de compensações de carbono baseada em blockchain da AirCarbon para facilitar os esquemas de crédito de carbono para reduzir as emissões da aviação a nível mundial.

Lançada durante a Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP 25) em Madrid, a parceria procura promover uma abordagem com base no mercado para reduzir as emissões de carbono da indústria da aviação.

Aproveitando a extensa rede global da ICC e a especialização da Perlin em tecnologia distribuída para empresas, a parceria procura facilitar a adoção global da AirCarbon Exchange, que é a primeira rede de distribuição e comércio baseada em blockchain do mundo para créditos de carbono compatíveis com o CORSIA. 

O CORSIA, (Carbon Offset and Reduction Scheme for International Aviation), da Organização Internacional de Aviação Civil, foi assinado em Montreal em 2016 por 191 países. O CORSIA entra em efeito em 2021, com 80 países – que representam mais de 77% do tráfego aéreo internacional – a comprometer-se voluntariamente com a adoção de aviões com menor consumo de combustível, novas rotas de voo diretas, o uso de biocombustíveis e outras medidas de sustentabilidade. À medida que a CORSIA continua a expandir e moldar o setor de aviação, a parceria procurará avançar nos esquemas de crédito de carbono com base em blockchain para ajudar a mitigar os futuros efeitos nocivos nas pessoas e do planeta.

Uma vez implementada, a iniciativa CORSIA deverá gerar mais de 40 mil milhões de dólares em financiamento para projetos climáticos e compensar mais de 2,6 mil milhões de toneladas de emissões de CO2 entre 2021 e 2035.

Esta parceria chega num momento significativo da história, no qual inúmeras iniciativas procuram lidar com a crescente crise climática antes que as emissões atinjam um irreversível ponto crítico de aumento de temperatura global. Com base no crescimento substancial do tráfego aéreo comercial previsto pela IATA (com o número de passageiros a duplicar até 2037), só a indústria da aviação poderia consumir até um quarto de todo o orçamento global de carbono para limitar o aumento da temperatura global para 1,5 ° C em 2050.

Os parceiros irão procurar combater diretamente a ameaça representada pelas crescentes e significativas emissões resultantes da aviação, ao facilitar a eficiência e viabilidade económica do fornecimento e troca de compensações de carbono credíveis para a indústria da aviação.

O secretário-geral da ICC, John WH Denton, explica que "como parte da declaração da ICC para o próximo século de negócios globais, estamos comprometidos em tornar a ação climática parte de todos os negócios, apoiando a investigação, desenvolvimento e implementação de soluções digitais. Esta parceria irá aproveitar o poder da tecnologia para acelerar a inovação e inspirar ações reais e concretas para manter o nosso ar livre de carbono”.

Relativamente ao papel do blockchain para apoiar uma maior sustentabilidade, Dorjee Sun, CEO da Perlin, disse que “o carbono e a valorização do meio ambiente são uma missão pessoal para mim, e o blockchain é uma solução adequada para superar parte dos desafios relacionados com a confiança, dupla contagem e governance que caracterizam os mercados de carbono. A AirCarbon e a ICC iram trabalhar com a nossa infraestrutura de blockchain para construir a plataforma digital de troca de comodidades do futuro. Esta nova parceria mostrará como o blockchain pode ser usado no mundo real para apoiar mercados mais inclusivos, eficientes e sustentáveis".

Relativamente à adoção de compensações de carbono, o co-fundador e CEO da AirCarbon, William Pazos, explicou que “à medida que a sociedade avança em direção a uma economia com restrições de carbono, a nossa tecnologia, juntamente com o alcance da CCI, irá acelerar a adoção de compensações de carbono. A chave para promover as compensações de carbono como uma ferramenta viável para combater as mudanças climáticas é eliminar o atrito do mercado. É esta a contribuição da AirCarbon. Ao trabalhar com a ICC, procuramos disponibilizar a nossa solução a todos os cidadãos corporativos responsáveis”.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.